Domingo, 28 de Novembro de 2010

12 Capitulo - Parte II

Este capítulo é dedicado a todos que leram desde o ínicio: Bella, Niley, Phils, Joana, Vita; a toda a gente! Muito Obrigada.

 

Este é o ÚLTIMO CAPÍTULO.

 

 

E a decisão foi tomada. E foi dita e aplaudida. E vivida. E sentida. E partilhada.

Eu emocionei-me, mas também aplaudi. Porque na verdade era eu a escolhida. As pessoas que me rodeavam á frente  e aos lados sabiam que eu estava posicionada perto deles. Então, moveram-se metade para a esquerda e outra para a direita, fazendo um grande tapete vazio de forma a eu passar para beijar o meu noivo.

Era estranho, pois eu já me afeiçoava a este como um grande amigo.

Primeiro, troquei palavras de agradecimento com o meu sogro e depois dei as mãos ao meu noivo sorrimos e beijei-o.

Parece injusto dizer que pensei no Henri num dos milissegundos do beijo, mas eu acabei com ele á dias, é dificil ter já um novo compromisso. Além disso como noiva!

Foi um momento de luz e magia. A água fazia um espiral á nossa volta, eu; sereia; e ele; tritão , elevámos-nos no ar.

Quando estávamos de novo á realidade ele ajoelhou-se:

-Minha jóia, meu coração, minha princesa; aceitas casar comigo?

-Aceito - sorri e saltei para os seus braços. Colocou-me a aliança e eu a ele.

O dia mais feliz da minha vida. Acabámos o dia na nossa nova casa. Estive com os meus pais, com as minhas melhores amigas, com Jackie, a família real e assumi a minha vida como sereia para todo o sempre no mar.

Eu não percebi bem que quando o pai do noivo anunciava quem ia ser a tal o casamento era logo no momento. A vida aqui parece demasiado rapida, muito precipitada.

Mas adoro o meu marido e até já estamos a pensar em ter filhos. Quem sabe?

 

***

Espero que todos tenham gostado do ultimo capitulo. Quero comentarios! ^^

Agradeço especialmente a Bella e a Vita!

 

publicado por Pipas às 21:40
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (5) | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

12º Capitulo - Parte I

Adormeci na casa que partilho com a Mia e Natasha, no fundo do oceano. A nossa casa é linda e fascinante!

Cheira a mar, e tem tudo a ver com o oceano! Tem uma piscina, a casa é em tons de tijolo e por dentro, é super diferente! Moderna, chique e clássica!

O meu quarto tem paredes azuis, chão de madeira clássica e um tecto com desenhos feitos á mão por um artista.

Era hoje o dia em que o Tritão ia anunciar qualquer coisa. Eu consigo vê-lo de fato e um bloco na mão.

De repente, ouvi um apito, o apito dele. Toda a população caminhou até ao palácio.

Eu vesti rapidamente o meu vestido de ceda azul bebé que entrou no meu corpo levemente e dirigi-me até ao Palácio Real.

 

Á esquerda encontrava-se o Rei Tritão e á direita o Tritão Júnior (Jackie). As trompetes tocavam, e as pessoas aplaudiam.

-Muito bom dia. Quero anunciar... com quem vai casar o meu filho, Jackie. As nomeadas são: Princesa Beatriz; Princesa Cláudia e uma habitante da ilha, a Rebbeca - Eu? Eu estou nomeada para casar com Jackie? Óptimo. Bom, eu não me importo.. Apesar de só ter 17 anos. Os meus pais sabem disto?

-Sabem sim - Disse o Rei piscando-me o olho.

Eu gosto tanto dele. Ele é um óptimo amigo. Mas a concorrer com duas princesas da nobreza... nunca vou lá.

-Ao fim da tarde á hora do buzio, apareçam aqui. - disse ele. - Irei tomar a decisão junto dos meus caros ministros.

 

***

Está um pouco esquisito, nunca "vivi" nada disto e neste mundo de peixes marinhos XD

Comentem! A parte II deve vir ainda no fim de semana! COMENTEM ^^ =D

 

publicado por Pipas às 15:14
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (4) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Novembro de 2010

11º Capitulo

É verdade, já estamos no capitulo 11 e não falta assim tanto para acabar!

Espero que gostem! É pequeno =P

 

***

Eu e Henry começamos por falar sobre gostos, vidas, experiencias da vida e claro, amor. Ele não tem namorada, aliás, nunca teve. Deve ser coisa do mar! Perguntou-me se eu tinha e eu disse que não, e que na Terra também só podíamos ter namorado no dia em que fizéssemos 18. Eu acrescentei que fazia anos dentro de duas semanas.

Resumindo, foi só mentiras do meu lado. Na verdade, eu não disse nenhuma mentira. Eu acabei ontem oficialmente com o Henrie. Estou super abalada porque quem me escondeu a pura das verdades foi ele. Ele nunca me amou, só me queria para foder… E a tia dele? Ela gostava mesmo de mim e ficou abalada...

 

flashback


As minhas pernas tremiam. Os meus braços estavam dormentes e a minha cabeça queimava como o fogo. O que ele tinha acabado de dizer era verdade?

Ele so me queria para...? Nojento... Nem tinha reparado que eu já estava a chorar... Mas eu também nao fui a melhor namorada e nao lhe dei a atençao que ele desejava.

Senti alguém a abrir a porta de sua casa. Era Henry a mandar-me embora. Caminhei até ele, pus-me em bicos dos pés e beijei-o... Pela ultima vez. Ninguem reagiu. A sua tia esperava-me lá fora para se despedir de mim.

-Eu gosto muito de ti. Vem cá sempre que quiseres, pequena.


fim do flashcback

 

Desde esse dia nunca mais o vi a ele... Nem a ela... Mas vivia bem, com a Mia e a Natasha. E o Tritão Rei tinha algo para dizer a todo o povo.

O que será que era? Ia anunciar  com quem Jackie, o filho se ia casar? Pois era assim nestes tempos... Será que ja se encontraram as 132 sereias? Será guerra? Crise?

Não sei o que me esperava, mas era amanhã, eu sentia-o. Com o meu poder consigo saber que o Tritão Rei está a acabar o relatório. Será que acaba para amanhã? Espero que sim!

..

ou não!

***

Aqui está o 11º Capitulo. Gostaram? Parte preferida? Ansiosos?

CAPITULO PARA A PHILLS ^^

publicado por Pipas às 21:03
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (3) | favorito
|
Domingo, 14 de Novembro de 2010

10º CAPITULO

Este capitulo esta um pouquinho maior!
E dedicado á Bella!

O proximo é para ti Phills!

***

Jackie é um rapaz maravilhoso. É filho de Tritão, é o tritão júnior. Aspecto físico? Loiro, pálido, olhos azuis, generoso, humilde, muito genuíno, mas acima de tudo brincalhão. Mas eu tenho o Henrie… Neste momento sinto que Henrie é apenas um rapaz interessante e que não me merece. Além disso terei de lhe esconder a verdade!

O que fazer? Não sei!

Vantagens do Jackie: Não preciso de lhe esconder o meu segredo.

Desvantagens: Ter de dizer adeus a Henrie

Vantagens de Henrie: Mais bonito

Desvantagens: Ter de lhe esconder o segredo, ser mais introvertido.

 

E agora? Eu escolhia Jackie, claro! Mas como acabar com Henrie? Não sei.

Neste momento nem sei como pensar, quanto mais saber escolher!

Está decidido, está na hora do confronto com o Henrie.

Vou ligar-lhe.

-Estou princesa? - Ia sentir falta destas palavras românticas, mas de certeza que Jackie era pior.

-Olá. Temos de falar, é serio.

-É sério? Queres casar comigo? - Desliguei. Ele ainda me ama. E vai ser muito mau para ele saber... Eu conto-lhe depois, eu tenho de lhe contar.

E se Jackie nao gostar de mim? É uma possibilidade. Não posso programar nada, sem saber disso antes.

Primeiro, vou falar com Jackie. O resto ve-se depois.

Fui ao mar, sem avisar Natasha nem Mia. Isto são coisas pessoais.

Toquei á campainha do palácio. Pedi para falar com Jackie. A sua cara... amor.

-Bom dia, real senhoria - Fiz uma vénia. Afinal é como se fosse meu Rei. Nada mais que isso, infelizmente.

-Então mas que é isso, Becca? - Trata-me por TU? Becca? Adolescente? Amor..! - Nós somos da mesma idade, somos amigos! Tudo bem? - Corei...

-Sim, está tudo óptimo, mesmo! Podemos falar num sitio mais a sós?

E foi assim que conheçi um lugar maravilhoso, mas que no final do dia me trouxe tristezas...

 

* * *

Porque é que ela se sentiu triste? Vão ver no proximo capitulo!
Jackie ou Henrie? Escolhe e diz porquê

 

 

publicado por Pipas às 16:18
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (2) | favorito
|
Terça-feira, 9 de Novembro de 2010

9ºCAPITULO

Durante o resto da semana fui mais duas vezes á “Minha Terra” como agora lhe chamava. A minha relação com Henry é que não andava tão bem, ele acha que eu lhe ando a esconder algo. É verdade. Mas eu não lhe posso dizer…

Sinceramente, acho mau demais os humanos não saberem da nossa existência. O facto é que eu também acho que o Henry me esconde algo.

O que ninguém sabe é que eu acho isto desde o início da nossa relação. E se ele me anda a trair? E se ele não é humano? E se ele só namora comigo por obrigação? E se… Imensas perguntas vagueavam pela minha cabeça a toda hora… “ E se…” era sempre o inicio das perguntas. A maior parte delas, às quais não tenho nem é possível saber as respostas, assim tão depressa.

 

Quanto ao meu segredo. Eu sei a resposta. Esta semana tenho sentido que sei o que as pessoas andam a fazer… Por exemplo, na terça feira, soube não sei ao certo como que a Mia e a Natasha deveriam estar á procura de sereias entre os humanos… E não é que estavam mesmo?

E muitos mais outros exemplos que nem vou estar aqui a contar!

! Os meus pais e o meu irmão acabaram por saber da verdade. Foi liberada uma regra, todas as sereias têm que dizer á família o que são.

Já aprendi milhares de coisas com esta experiência! Se eu der o meu colar que me faz transformar na água a um humano ele transforma-se? Não e tantas outras coisas que aprendi com os desafios da água que realizei com o Tritão junto desta semana.

Ah, e conheci o Jakie!

 

* * *

Eu prometi capítulo e aqui está!

É pequenino!
E quem é o Jackie? O segredo dela, que tal?

Comentem muito, estamos quase no comentário 100!

A fic irá ter cerca de 15 capitulos, estamos no nono.

Capitulo deve vir no sábado!

KISS

publicado por Pipas às 21:25
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (2) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010

8º CAPÍTULO

Bom, eu sei que prometi postar na sexta feira, mas foi a festa de uma das minhas melhores amigas ^^

Mas aqui está, é pequeno e escrevi-o á pressa :S :

 

-Os lobos são uma longa história. Diz-se que muitos humanos são descendentes deles. Há mais lobos que sereias. Mas acho que precisas de descansar é muito para um só dia… Quanto ao poder, eu sei qual é o teu poder. Mas vais ser tu a descobri-lo – piscou-me o olho – Não é difícil!

Já estava a chegar a casa do Henry… e se ele descobrisse? Como iria reagir? Iria acabar comigo? Não... Isso é mau demais. Acho que mais vale a pena nem pensar naquilo.

* * *

-Olá amor – saltei-lhe para os braços e dei-lhe um beijo apertado. Tinha falta daqueles beijos principalmente depois do dia de hoje! – Estás bom?

-Claro! Ainda bem que vieste!

O Henry é alto, loiro, olhos verdes, musculado, essa última característica tem vindo a aumentar cada vez mais, dorminhoco, (mais uma vez, também tem vindo a aumentar), comilão (que também tem vindo a aumentar) e sobretudo lindo!

Não é atrasado, muito menos burro! É inteligente e nas notas está sempre a competir comigo. Claro que quem ganha é... é melhor não dizer!

Adiante. Saltei-lhe para os braços e depois já não sei bem o que aconteceu, mas acreditem que foi uma looooooonga noite de dez séculos já diziam os historiadores da Idade Média, do século tal a tal, que agora não me recordo.

Amanhã vai ser um longo dia... Vou descansar, e nem vou meter os pés no local aonde agora pertenço. Estou estafada, e além disso o Tritão achou melhor eu saber do resto, depois de saber o meu poder... Quais é que eles eram? Ouvir pensamentos , saber o que está a acontecer noutro local e ao tocares em alguém poderes saber se são humanos, sereias ou... lobos. Primeira: eliminada. Se eu ouvisse com certeza saberia. Segunda... Não sei e a última muito menos.

O que será que a Mia e a Natasha estavam a fazer? Talvez á procura de sereias ou em busca de lobos. Sinto que sim... quem sabe?

Ao menos a minha função não vai ser descobrir as 132 sereias. Ufa!

 

* * *

Este capítulo está bem diferente. Parece que ela está a falar connosco! É mais um resumito da história =(

Não tive tempo para mais. Capítulo na segunda ou terça!

Beijos!

 

 

publicado por Pipas às 20:34
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (3) | favorito
|
Terça-feira, 2 de Novembro de 2010

7º Capitulo

Aqui está o 7º Capítulo!

Neste capítulo vai-se descobrir muita coisa!

 

***

 

Devia ter adormecido, a única coisa que me lembrava da tarde anterior tinha sido o meu Henry…

Rapidamente de lembrei de um assunto mais importante. Tinha dormido quase um dia… Esta semana tinha sido de rastos. Estava estafada. Os meus pais e o meu irmão tinham ido passar um fim-de-semana com os meus avós, mas eu preferi ficar.

Depois lembrei-me daquilo. Tinha combinado com elas na praia.

Levantei-me da cama e espreguicei-me. Tomei um duche, mesmo sabendo que ia para o mar, vesti um biquíni, um vestido leve e asiático, que pertencia á minha colecção de vestidos para levar á praia e segui. Fui a pé até á praia. Mia e Natasha já se encontravam lá. Estavam no mar consegui identificá-las ao longe. Os seus cabelos esvoaçavam, os seus corpos eram belos, eram perfeitas. Eram mesmo sereias… Tinha dormido sobre o assunto, não era assim tão mal. Mas as perguntas, primeiro.

Fui sentar-me numa rocha que estava na direcção do Sol. Elas vieram ter comigo, já secas da água...

-Olá!

-Olá – cumprimentaram – Então?

-Bom… Eu tenho algumas perguntas – fez sinal para continuar – Como sabes que sou uma sereia?

-Ah, porque nós temos capacidade ouvir pensamentos e como consigo ouvir os teus…

-Consegues? Então o que estou a pensar agora? – Estou nervosa, estou nervosa…

-Estás nervosa – fez uma careta – Mais?

-Acho que não. – Ajoelhei-me, Mia ia colocar-me o colar. Baixei a cabeça e senti um colar a deslizar até ao meu pescoço.

O meu corpo vibrava e a verdade, que me custa admitir, é que estava ansiosa e preparada.

Como será que ia ser? Diferente, estranho… bom?

Não foi preciso ninguém dizer. Corremos até ao mar, e eu não me importei com o frio ou com calor. Coloquei um pé na água, e mergulhei para a frente, devo ter estado debaixo de água durante 2 minutos, depois finalmente reagi. Olhava para o meu corpo com um ar diferente. Barbatana, cauda, corpo brilhante, com pérolas?

Como é que usava este corpo? Tentei nadar e bater com a minha cauda. Admiração…

Parecia que era sereia, desde que nasci…Olha a verdade é que é verdade. Ri-me.

-Então, a experiência?

-Parece que sou assim desde que nasci.

-E és – disse Natasha – Não prestaste atenção às explicações?

-Sim. – Mais uma vez, nadámos até ao fim do mar, seguia-as. Nadávamos tão rápido. 100 Metros por segundo. Wow.

Comecei a desvendar um castelo, enorme. Torres em forma de cone, roxas, paredes brancas, pequenas faixas azuis. População, eram sereias e alguns tritãos. Afinal, tinha percebido. Não eram sereias homens, também é difícil imaginar. Mas sim, tritãos.

Lembrava-me de os ver na Pequena Sereia.

 

+ + +

 

Dois tritãos abriram-nos uma porta vermelha, com ranhuras douradas, era a porta do escritório do Rei. Dirigimo-nos até ele. A andar. Estávamos numa terra, como na superfície, sem água. Esta apenas se localizava no mar, no mar pelo qual tínhamos chegado a esta ilha.

 

Falava uma língua estranha. Não era a minha língua. Mas eu percebia. Desde hoje.

-Então, finalmente encontraram mais uma das 132 pessoas! Muitos parabéns. Já só faltam – começou a folhear uns papéis – Faltam, exactamente 8 pessoas. Estou tão contente. Parabéns! Aqui está a vossa recompensa – Apenas ele falava, nós só acenávamos ou dizíamos um “sim” ou “não. – 320 Lírio – entregou-me para a mão, um saco azul com um cordão, que puxei com todo o cuidado. Lírios era a moeda desta terra… Em falar nisso.. Como se chamava a terra?

-Muito obrigada – finalmente falei. Fiz mal?

-Isso é para as três. Para elas, porque te encontraram e para ti, para teres dinheiro para viver cá – o quê? Eu não vou viver aqui...

-Mas sua Realeza. Eu não irei viver cá. Apenas virei cá uma ou duas vezes por semana – sorri. Para ver se o acalmava.

-Ah, claro! Com todo o prazer. Eu compreendo. – Olha, afinal nem reagiu mal – Quando eu tinha a tua idade, foi quando descobri. Eu tinha de suceder ao meu pai. Estava fraco, quase não respirava. Como durante a sua infância nunca tinha ido ao mar, e era dentro do mar que conseguia respirar, morreu. Sim, como deves saber, se não fores ao mar durante muitos anos, deixas de puder… Depois tive de abandonar a minha terra e vir para aqui estudar. – Estava com pressa. Tinha combinado com Henry – Está bem, vai lá – também ouve pensamentos. Como é que eu não ouvia? Era sereia…

-Nem todas as sereias têm este poder. Existem 3 poderes: Ouvir pensamentos , saber o que está a acontecer noutro local e ao tocares em alguém poderes saber se são humanos, sereias ou... lobos. O último que referi é bastante util principalmente para encontrar as 132 sereias á face da terra. - Lobisomens? Poderes?

- Uh... Como é que sei qual é o meu? E fale-me sobre os lobos, por favor... Existem mesmo?

 

* * *

Está bem grande, não se podem queixar! A explicação da pergunta vem no próximo capítulo ;)

Bom, a verdade é que os ultimos dois capitulos já os tinha escrito á muito tempo! ...

Acho que vou passar a postar num certo dia apesar de odiar horários. Vai ser sempre á sexta.

Esta sexta não posto outra vez, devo postar lá para Domingo ou  Segunda e depois é todas as sextas.

Beijinhos!

publicado por Pipas às 17:37
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (4) | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

6ºCapitulo

Peço desculpa a todos pela demora! :)

Mas com os testes, tenho de estudar...

Bom, aqui vai! O capitulo está bastante pequeno...! O proximo é maior!

 

* * *

 

Como não conseguia descansar decidi ir ouvir música, tinha dormido até às 11 horas em casa de Henry, normal que não tivesse sono.

Entretanto os meus pais já tinham chegado e acordado o meu irmão, e como de costume resmungou.

Estava a ouvir a música “I should be with you” dos Muse. A música que ouço sempre que estou triste ou confusa. Neste caso estou confusa…e triste.

Confusa por aquela história de eu ser um ser marinho… e triste, porque por um lado gostava que tudo fosse mentira.

Só de pensar que tenho de esconder tudo isto ao Henry e à minha família surgia um aperto no meu coração.

Bom, o Henry já me escondeu várias coisas, mas mesmo assim… Eu normalmente perdoo-o toda a gente. Mas se ele vier a saber, não vai ser a mesma coisa.

Tinha combinado amanhã ir ter à praia deserta com Mia e Natasha, mas sinceramente não me estava a apetecer. Além disso, amanhã temos aulas e à tarde pretendo estudar. Por acaso não, mas… Vou ter de pensar no assunto.

Não sei se quero ver o que realmente sou. Secalhar mais vale ser assim para sempre…

Ainda tenho uma série de perguntas a fazer tais como “Como é que a Mia sabe que sou um ser do mar?”, secalhar até me disse isso, no meio daquela confusão toda. Para se explicar, não se sai lá muito bem, mas eu percebi, acho eu.

Secalhar a culpa foi minha… Se a Mia não tivesse vindo para minha casa, provavelmente poderia não acontecer nada a Natasha e isto ter sido só um sonho.

Bom, não vou deitar as culpas para os outros…

 

* * *

É apenas um desabafo dela a seguir a saber de tudo...

E se o Henry descobre?

COMENTEM!

publicado por Pipas às 19:19
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (11) | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Outubro de 2010

5º Capitulo - I should be with you

Peço desculpa pela demora, mas estava á espera de mais comentários, coisa que não consegui =(

Gostava que divulgassem o blog nos vossos blogs e a amigos, porque ter 2 seguidores não é bom...

 

Aqui vai, sem mais demoras!:

 

Caminhámos até à porta para ver quem era desta vez.

De repente, soltámos um suspiro. Era só a Anne.

-Olá meninos. O que é que se passa para estarem com essa cara?

-Nada, nada.... - disse eu sorrindo.

-Então se não é nada, podem ajudar-me a levar os sacos!

E assim o fizemos.

-Já jantaram?

-Se sim... - Passou-se - Ah, não. Vamos aquecer agora.

-Hum, está bem. Eu já jantei num restaurante a caminho. Vou descansar. Até amanhã.

-Boa noite. - Dissemos

-Ah, e portem-se com juízo. – acenámos.

Fomos jantar. A seguir decidi ligar a Natasha, para saber como estava depois do acidente.

-Estou?

-Estou Becca? Diz.

-Estás melhor? - que seja sim, que seja sim...

-Sim, totalmente recuperada. Pronta para outra - ainda bem pensei aliviada.

-Não sejas tonta. Vá, o que estás a fazer?

-Só estou a arrumar uns livros e depois vou para a caminha.

-Vê lá, não faças esforços! E dorme bem. Lava os dentes! - ri-me.

-Sim, mamã. - desligou.

Estava na hora de nós também nos irmos dormir.

-Então, a Natasha está melhor?

-Hum, hum - beijei-o ardemente, mas foi um beijo curto - vamos fazer oó?
-Bora...!

***

Acho que dormi a noite toda, enrolada nos braços do meu amado, a sonhar com sabe-se lá o quê. Comecei a ouvir passos na casa e decidi levantar-me com cuidado para não acordar ninguém.

Fui à sala, nada. Fui ao hall nada, fui ver lá fora e nada. Fui à cozinha e encontrei lá a Anne, quase dei um salto para trás, por mais que andasse à procura da fonte do som acabara de me levantar o que significava que me assustava facilmente - era assim com todas as pessoas, certo?

-Então? Ainda só são 9horas. É cedo. Porque não vais dormir mais um bocadinho? – Admirava esta senhora. Tão simpática, uma excelente cozinheira e com paciência para aturar o meu bebé.

-Não, obrigada. Já não tenho sono. – sorri.

-Ok. Vai para a sala ou assim.

-Ok, obrigada!

 

* * *

-Becca, acorda. Já são 11 horas.

Senti-me a ser pegada ao colo e levada para uma cama confortável.

Lentamente abri os olhos.

-Ah... adormeci, não foi? Na sala… Pois.

-Sim, amor. Bom dia! – Foi abrir os cortinados e senti uma luz a entrar-me nos olhos. Odeio isto logo a seguir a acordar. Bah…!

-Bom dia - disse ainda meio ensonada - Que horas são...?

-11 horas acho melhor vestir-te, porque a Natasha ligou para ires a casa dela. É sobre a Mia, ou algo parecido.

-Hum, está bem.

-Ate já.

Vesti uns calções curtos de ganga, com uma sandálias pretas, um top bege e preto com um colar branco a dizer Becca.

Fui até à sala. Onde Henry estava a pôr a mesa.

Comecei a ajudá-lo. Só depois reparei numa foto super engraçada do Henry, devia ter uns 7 anos, a dar um beijo a uma menina.

-Quem é?

-É a Catarina, uma namorada de infância.

-Ai, 'tou a ver que já tiveste muitas.

-Mas tu foste a mais especial - deu-me um beijo no canto do olho.

-Então meninos, vamos tomar o pequeno-almoço?

-Sim. Posso saber o que é?

-Torradas com manteigas. Não podem é comer muito senão não almoçam. Já é tarde.

-Pois e eu a seguir tenho de ir embora.

Devemos ter demorado uns 10 minutos a pôr a mesa, comer e levantá-la.

Fui de carro sozinha para casa da Natasha.

Toquei á campainha e quem me abriu a porta foi Mia.

Estava no quarto com Tasha e Mia.

-Então. Diz lá a novidade! Estás melhor?

-Sim estou. Nós queremos mostrar-te uma coisa. Para isso temos de ir até á praia. – Estava muito séria… Achei estranho, ela estava sempre com aquela cara de alegre e de quem ama a vida!

-Ok... - Mas o que será que elas querem? Estou a ficar curiosa…. E nervosa.

-Depois vês - levantámo-nos e seguimos até à praia.

O céu estava escuro e não se via ninguém na praia. Tanto vento, fiquei arrepiada com frio.

-Mas está tanto frio, não está ninguém na praia e daqui a bocado começa a chover.

-Por isso mesmo. - Começaram a dirigir-se as duas para o mar.

-Vocês estão doidas? - inquiri aos berros para que me conseguissem ouvir.

-Não, não precisas de entrar. – A resposta à minha pergunta – Vem só para a borda.

E assim o fiz, elas já estavam dentro de água.

E qual não foi admiração a minha quando reparo, que elas … que elas … que elas… tinham uma cauda. Ah? Hoje não é o dia das mentiras nem nada do género.

O cabelo da Natasha era laranja e o da Mia era verde, acastanhado.

-Vocês... Vocês... - estava em choque, aquilo era formidável e ao mesmo tempo horrivel.

Elas saíram de água e voltaram à forma normal.

-Nós somos mesmo assim. Sereias. Pertencemos ao mar. - disse Mia - Eu sou assim desde que nasci... Nasci no mar. A minha mãe também é, mas já não vem ao oceano há muito tempo. A Natasha é desde hoje, tecnicamente, desde ontem. - que confusão, meu deus! Só posso estar a ter um sonho - Quando eu a salvei... Bom, vamos para tua casa, porque estão a chegar pessoas... - virei-me e encarei pessoas a rir à gargalhada, o que me deu uma certa inveja. Há certas coisas que não devemos saber mas que de certa forma merecermos saber.

Não devia estar a andar até a casa, mas sim a andar aos tropeções.

E se aquilo fosse verdade?

Não podia acreditar, era mesmo estranho.

 

* * *

-Quando eu a salvei, e isto acontece sempre, fiz respiração boca a boca... Daí ter deitado saliva com componentes do mar para a sua garganta. E pronto.

Estás a compreender?

-Não pode... Isto só pode ser um sonho. Isso é maravilhoso! – e horrivel acrescentei mentalmente.

-Pode dizer-se que sim. Eu estou a adorar! Ainda estou no mesmo estado que tu - disse Natasha. – Mas acredito, porque já exprimentei.

-Também quero! Acho eu… Têm de me contar as vantagens e desvantagens, o que se ganha, onde temos de viver – falava, falava, falava. Sou mesmo chata.

-Calma, calma! Não podes contar a ninguém. É um segredo de família. E tu não podes vir a ser

– Então porquê? - estava a ficar com um nó no cérebro.

– Tu já és.

-Ah? Só podem estar enganadas porque eu fui ao mar á 1 semana, e não me acontece nada disso.

-Pois, claro. Só és quando usas o colar - Elas não disseram um colar, disseram "o colar".

-Mas como? Ninguém me salvou nem nada disso... E que colar?

-Pois não. A tua mãe já é. Mas ela não sabe. As mães têm sempre a obrigação de contar aos filhos o que são. É assim a lei. E o teu irmão não é, porque o rapaz, na maioria não são.

-Isto foi demasiada coisa para ingerir. Tenho de ir para casa reflectir. Mas antes, quero saber sobre o colar.

-Existem apenas 132 colares, significa que há 132 pessoas, que se conseguem transformar em sereias. Os colares encontram-se no fundo do mar. Se fores ter com o Imperador da Maresia, ele irá dar-te um, para ver se és. Se não fores, ele hipnotiza-se para que não contes a ninguém do que sabes.

-E como é que alguém que não é… sereia – ainda não conseguia dizer a palavra normalmente – chega a nadar até ai? E vai logo pedir ao imperador?!

-Normalmente, são os nadadores profissionais. E os criados é que os levam até ao Imperador, porque ainda se está a tentar descobrir quem são os 132.

-Que confusão! Bom, obrigada e tal pela… ajuda?! Vou indo! - disse à pressa saindo o mais depressa lá de dentro.

***

Meu deus. Devo ter atropelado umas 15 pessoas a caminho de casa.

Cheguei ao meu querido e fofo quarto, e deitei-me na cama…

Os meus pais deviam ter ido a uma reunião e o meu irmão, olhei para as horas, 14:20, bom, esse ainda devia estar a dormir.

E eu a pensar que ia ter uma adolescência normal...

 

* * *

 

Este capitulo nao foi revisto, por isso deve ter erros e é a parte em que é a Descoberta =P Gostaram?
Sim, eu nao tive ideias mt boas tipo "132" ou "Imperador da terra do mar" Está estupido xD

COMENTEM!!!

sinto-me: triste...
publicado por Pipas às 20:14
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (13) | favorito
|
Quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

4ºcapitulo - I should be with you

Tá muito pequenino, mas para a proxima eu recompenso? Nao tenho tido tempo para escrever!

COMENTEM

 

BECCA

 

A seguir a vestir a minha sweetshirt correctamente, fui para a porta de entrada e reparo-me com uma caniche.

Não, não era uma cadela a sério, mas sim uma rapariga cheia de maquilhagem e roupas daquelas chiquérrimas e não sei que mais.

Ela começou a olhar furiosamente para mim, não percebi ao certo porquê, mas Henry ia contar-me quem era ela. Se não contasse, acabava-se tudo entre nós.

-Olá querido! - Ia para espetar um beijo na boca ao MEU namorado, quando Henry a afasta dizendo:

-Já não namoramos à 5 meses... - afirmou - é bom que te lembres disso. Já agora, esta é a minha namorada, Becca - com que então uma ex.

Ai, preciso de conversa séria, preciso. Bom, era EX... achava eu.

Decidi fazer um teste.

Estendi-lhe a mão e a caniche começou a olhar para ela depois para os meus olhos e nada... Nem a apertou e voltou a olhar com os seus olhos para o Henry. Parecia que o hipnotizava. Que cabra!

-Mas, mas... Tu ainda gostas de mim! Eu sei, eu tenho a certeza! Se não gostasses não tinhas andado comigo. E quer dizer, trocas-me por essa – desviou o olhar – pita?

-Só gostava de ti, porque praticamente me obrigaste, okay? Agora adeus - e fechou-lhe a porta na cara.

-Mas quem é aquela? Tu nunca me falaste dela! Ai, vais levar, vais! – levantei a mão, mas de repente sinto um braço a apertar o meu pulso.
-Porque – baixou o meu braço - não tem importância - franziu o sobrolho - e foi passageiro.

-É bom que sim.

Henry pegou-me ao colo e colocou-me no sofá.

-Ei, eu sei andar!

-Desculpa, já não posso ser cavalheiro?

-Não!

A campainha voltou a tocar. Ai, se é ela. Nem que tenha de lhe espetar dois murros na cara e mandá-la embora.

 

 

E agora quem é? Eheh!

publicado por Pipas às 15:10
link do post | comentar | Queres mesmo ver..? (7) | favorito
|

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Arquivos

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds